Fundação Maitreya
 
As evidências

de Maria Ferreira da Silva

em 15 Ago 2022

  Não é minha intenção fazer profecias, pois basta um olhar atento aos acontecimentos actuais, para logo entender os futuros passos da Raça Humana neste bendito, mas massacrado planeta. Há ainda, infelizmente quem enaltece conflitos bélicos, o que demonstra que muitas mentes funcionam de um modo mais retardado, fruto de um estado caótico consciencial. Por outro lado, aqueles que em suas análises criticam o estado evolutivo da Europa, ou melhor dizendo que ela estagnou, fazem-no por ignorância.

A Europa, onde a grande maioria dos seus países fazem parte da União Europeia, constituem uma parte da vanguarda da evolução humana, onde se desencadeou um grande impulso, cultural, tecnológico, espiritual, social e científico, tornando-se numa economia dinâmica, florescente e segura após a II Guerra Mundial e, consequentemente, muitos ganhos na liberdade e nos direitos humanos.

Perante este avanço na linha da evolução de uma Europa moderna e tolerante, tornou-se apelativa para imigrantes de todo o mundo, que a invadiram pelo silêncio durante as últimas décadas. Isto pode vir a gerar momentos de caos, pela falta de estruturas, ou ser mesmo asfixiante se não houver contenção. Este facto, incontornável mudou, obviamente, o ambiente ou vibração de anos de paz, de liberdade, e da convivência de respeito entre nações, onde outrora (uma década atrás), se circulava, segura e livremente, sem receios onde, simultaneamente, se desenvolveu uma mentalidade mais aberta ou avançada, atraindo assim muita gente, que agora dela beneficia. Sim, é exactamente isso; a Europa ainda oferece segurança, paz e benefícios sociais.

Como se coaduna, por exemplo, a liberdade conquistada ao longo do tempo no que respeita ao direito das mulheres europeias, perante a falta da liberdade desses mesmos direitos na mulher muçulmana? São reprimidas na sua expressão como ser humano, portanto, o que nos vem trazer de benéfico esta condição de “escrava” da mulher na Religião Islâmica? Nada, só evidencia o contraste. Lamentamos, porém, todo o sofrimento que possam ter, devido a repressões à condição feminina, que resulta, obviamente, do antiquado sistema religioso, fundamentalista. Esperamos que um dia, possam adquirir os seus direitos, igualando em liberdade a condição das mulheres ocidentais.

Em verdade, quando dizem que a Europa estava estagnada é de facto pura maledicência. Sem dúvida, que se não houver uma verdadeira atenção e prevenção dos povos da Europa, seremos “engolidos” por forças e mentalidades que ainda não alcançaram o grau evolutivo dos europeus e isto não é ser racista, é ser realista, pela razão. Somos todos iguais, porque nascemos sob condições da Raça Humana, mas diferem os povos nas características e mentalidades, os quais se guiam pelas suas tradições, áreas geográficas, e mesmo condições cognitivas, portanto de inteligência, pelo que, até individualmente, somos diferentes uns dos outros devido ao estado de Consciência que cada um faz da sua vida, para melhor ou pior. É, de facto, a mentalidade que faz a diferença.

O Astrólogo Nostradamus, profetizou que a Europa um dia será islâmica, devido à expansão dos muçulmanos – sim, já se aproximam os tempos – mas não só, os africanos também se estão a estabelecer na Europa em igual número. Hoje em dia são muitos os países africanos que adotaram a Religião Islâmica, o que vem também justificar esta profecia. Portanto, não só avançamos cada vez mais para um cruzamento de raças, em que a mestiça será preponderante, absorvendo a raça branca, onde daqui a uns anos será um facto irreversível, como todos vêm “beber” da evolução espiritual, cultural e social dos europeus. Contudo, não é minha intenção criticar quem quer que seja, ou diminuir outros povos, estou apenas a constatar a realidade dos acontecimentos, pois o processo já está em curso há décadas, porém, só agora é mais evidente. É o curso da evolução das raças? Também cabe ressalvar que não sou contra os africanos e muçulmanos (os árabes), ou quaisquer outros, apenas contra as suas normas obsoletas para a actual evolução, e mais ainda para os europeus, que as rejeitam, naturalmente.

Hoje compreendo melhor esta profecia, difícil de aceitar há já alguns anos quando a conheci, mas agora, as evidências silenciosamente chegaram à nossa “porta”. Se, na II Guerra Mundial, a Alemanha e a União Soviética, ou Rússia queriam dividir a Europa entre si, hoje temos a perigosa e matreira ascensão da Turquia, com o seu “imperador” islâmico a avançar destemidamente, com gestos que parecem benevolentes, mas que por detrás, estão intenções maléficas para um domínio sobre a Europa. Mas temos também a ambição desmedida da Rússia, representada actualmente por um homem pequeno no tamanho e nas virtudes, tal Mago (Negro), na fileira de poderosos (malfeitores) na destruição da Europa (ao começar a guerra na Ucrânia), para depois se alargar nos seus domínios - que seguindo o slogan de Donald Trump - quer uma Rússia “grande novamente”.

É assim, que infelizmente acabará a Europa neste pior e devastador cenário, caso não haja quem se oponha a estes dois actores: a Turquia e a Rússia. Há quem defenda o povo russo condenando apenas o seu líder, mas é tão inocente assim? Vive fechado numa bolha, estanque, onde as notícias dos acontecimentos do mundo não chegam? Não creio.

O maior tesouro de Arte e Cultura mundial encontram-se nos vários países europeus. São a Arte, a Cultura Literária e a Religião que designam a evolução espiritual de um povo. A quem caberá preservar a nossa cultura, tão bela e preciosa? Ou, por maldade será destruída?

Na realidade há que compreender melhor os acontecimentos actuais, e estar atentos a esta revolução cultural e social da humanidade que, implacavelmente, segue a sua marcha, onde a Europa é o palco dessa transformação. Convém que nos preparemos.
   


® http://www.fundacaomaitreya.com

Impresso em 24/7/2024 às 6:12

© 2004-2024, Todos os direitos reservados