Fundação Maitreya
 
A Consciência do momento

de Maria Ferreira da Silva

em 13 Mar 2023

  Ter consciência dos momentos requer a atenção a si mesmo, quer aos pensamentos, quer aos movimentos físicos; o que se pensa e como se age. Contudo, há escapes constantes, onde a normalidade é a ausência desse controlo, que a consciência de ser consciente, acaba por ser só por períodos intermitentes, entre o controlo mental dos movimentos automáticos do nosso sistema físico e o psicológico, numa sobrevivência momentânea.

A consciência de si permanente, adquire-se por um esforço no controlo da mente através de algum exercício na prática da concentração, quer seja através de algum trabalho laboral que exija muita atenção, quer seja pela meditação, que já engloba uma vontade de autocontrolo de forma mais consciente, e que sendo de forma assídua, os resultados são mais concretos e duradoiros, numa mente direccionada já em objectivos ou metas estipuladas internamente.

Na conquista da vida espiritual alinhada e saudavelmente controlada pela mente num propósito superior, sobressai a clareza mais permanente, tornando-se cada vez mais consciente de si e do que o rodeia.

Não basta dizer “sou consciente”, pois todo o ser humano o é (diferença em relação aos animais), mas obter essa consciência cada vez mais presente nessa condição natural, que é ser conhecedor do estado inteligente adquirido por vontade própria, num percurso em que o domínio mental e a clareza asseguram que o propósito humano - é ser na realidade - mais inteligente-consciente, para abarcar maior compreensão, conhecimento e atenção à sua própria vida.

Com tantos momentos imprevisíveis e desconhecidos que acontecem no dia-a-dia e na dificuldade em controlar a condição mental de dispersão, a meditação, pode aparar e reduzir o impacto da surpresa que a vida nos coloca constantemente e, portanto, a atitude perante os factos poderá fazer a diferença de como os enfrentamos.

Ter um motivo superior de concentração ajuda na qualidade que imprimimos à mente, para não a deixar à mercê de pensamentos e problemas mesquinhos. Relevar a pureza de intenções facilita o domínio da mente no que verdadeiramente é útil.

Pode também desenvolver a intuição e usar melhor os recursos do seu Eu ou Ego, para maior equilíbrio e assumir o controlo da mente, evoluindo nos seus poderes naturais e inerentes, aplicando o seu saber interno. E quanto mais elevar e expandir a sua Consciência, maior conhecimento terá da vida superior, onde se realiza gradualmente a integração divina ou vida espiritual. A disciplina mental não será já um esforço, mas uma anuência natural do seu próprio Ser interior, num contexto mais elevado.
   


® http://www.fundacaomaitreya.com

Impresso em 16/6/2024 às 16:36

© 2004-2024, Todos os direitos reservados