Fundação Maitreya
 
O Sufismo

de Mostafa Zekri

em 18 Jan 2007

  O sufismo é um andar no caminho de Deus, uma educação espiritual sob orientação de um shaykh, mestre espiritual, uma experiência individual saboreada pelo adepto do tasawwuf, uma ligação entre a origem da criação e a vontade de descobrir os seus mistérios, o desejo ardente de atingir ou, pelo menos, de aproximar-se da Verdade e afastar-se da ilusão.

O que é o sufismo ?

Os instrumentos de abordagem no sufismo são diferentes daqueles habituais no mundo exterior. O tempo não conta, o espaço e as fronteiras desaparecem. Não tem mais negação nem confirmação ; a Unicidade Absoluta torna-se todo.
O sufismo, longe de qualquer definição que o limitar, é a expressão da dimensão espiritual do Islão. Se o lado exterior for associado à shari`a, a Lei islâmica, que normaliza as realidades diárias na vida do muçulmano, o lado interior é apresentado, geralemente como o espelho que reflecte a Verdade, al-haqîqa, que cada fiel deve apreender e observar a cada momento a fim de atingir a perfeição. Pediu-se ao Shaykh Abû Sa`îd para falar do sufismo. Respondeu: "O sufismo é uma palavra, mas quando chega à perfeição há apenas Deus. Isto quer dizer que quando o sufismo atinge a perfeição, tem apenas Deus e qualquer coisa fora de Deus não existe...” e "o sufi é aquele que, em tudo o que faz, age para agradar a Deus, e, por conseguinte qualquer coisa que Deus faz agrada-lhe." (Maqâmât al-Shaykh Abû Sa`îd, p.290 e p.294)"

Lemos nas obras clássicas do tasawwuf, nomeadamente na Risâla de Qushayrî, que a prática do sufismo é anterior ao termo que o designa. Isto quer dizer que esta dimensão é inseparável da revelação. Esta, por sua vez, não pode conceber-se sem a palavra de Deus, al-Qur' ân, e a pessoa do Profeta Muhammad. O sufismo não existiria sem estes dois elementos que, em estado de fusão, constituem o eixo ao redor do qual se articula toda a doutrina sufi. Durante o seu percurso espiritual, o discípulo segue o modelo profético. Com efeito, o Profeta sempre representou, para cada muçulmano, o modelo por excelência, al-uswa al-hasana (Alcorão, 33:21). É a manifestação da ordem cósmica e espiritual. É a representação viva do Alcorão. Quando se perguntou à sua esposa Aisha : “como era a natureza do Profeta?” respondeu : “A sua natureza era o Alcorão" . Nota-se também que o imitatio Prophetae, não se limita à conformidade com o comportamento aparente cuja sunna, a tradição do profeta, entrega os detalhes. Porque o Profeta foi enviado para "aperfeiçoar as nobres virtudes", (bu`ithtu li utammima makârima l-akhlâq). A sua pessoa é por conseguinte inseparável dos dois aspectos exterior e interior do Islão.

O sufismo é também uma educação, tarbiyya. Esta permite conhecer-se e dominar o seu "Ego", an-nafs. Abandonando o seu Ego, o sufi afasta-se do supérfluo e da ilusão, al-wahm wa al-khayâl, e aproxima-se da Verdade que existe no seu coração purificado de tudo o que é estranho a Deus. Por meio desta educação espiritual, os mestres do tasawwuf ajudam os seus discípulos a ver as realidades com clareza e sem confusão.
Reunir todas as preocupações e torná-las só uma, ou seja Deus, é o principal ensino no sufismo. Este ensino inscreve-se numa longa tradição mística que os mestres transmitem desde séculos. Abû Madyan al-Ghawth dizia:
Diz: Allâh, e deixa o universo e tudo o que ele contém,
se o teu desejo é atingir a perfeição.
tudo o que não é Allâh, se verificares,
é nada, quer globalmente, quer em detalhe.
   


® http://www.fundacaomaitreya.com

Impresso em 19/5/2024 às 12:25

© 2004-2024, Todos os direitos reservados