Fundação Maitreya
 
Saúde num pote

de Lakshmi Balakrishnan

em 28 Jul 2014

  Com uma mudança de escolhas na forma de vida, medicinas tradicionais derivadas de raízes, folhas e caules hoje encontram novos seguidores por todo o mundo. No entanto, a Índia tem estado no coração de todo este movimento há séculos. Com os avanços na pesquisa clínica, medicamentos à base de ervas têm gradualmente ganho vantagem sobre o método principal da ciência médica na prevenção e tratamento. A Índia é frequentemente chamada de jardim botânico do mundo. Cerca de 6.000 das 45.000 mil espécies de plantas conhecidas na Índia são usadas para produção de medicamentos tradicionais. De acordo com o Centro Nacional de Ciências Biológicas, o uso de medicamentos à base de ervas da Índia remonta ao 2º milénio a.C.

Um passeio pelo corredor de qualquer supermercado narra a história desses super-ingredientes, derivados de raízes, folhas ou extractos de plantas que curam “naturalmente”. De facto, eles estão cada vez mais presentes nos produtos utilizados para nutrição e beleza. Muito antes de abrir a rota das especiarias das riquezas da Índia para o ocidente, viajantes, filósofos e físicos estavam olhando para o seu conhecimento e desenvolvendo a compreensão no campo da saúde e da medicina. Referências da medicina tradicional indiana são encontradas na Charaka Samhita e Sushruta Samhita, as mais antigas escrituras do Ayurveda.

Considerado um dos sistemas mais antigos do mundo da medicina Ayurveda, os primeiros escritos focaram-se em encontrar a origem de uma doença para proporcionar uma cura saudável com base em elementos que se acredita criarem o equilíbrio para um corpo humano saudável. Esta continua a ser a base do processo de cura da Ayurveda até hoje. Enquanto a Ayurveda encontra notoriedade na história da antiga medicina indiana com o aumento do comércio e as influências culturais, a região também testemunhou a prática da Unani, Sidha e Sa-Rigpa que influenciou e foi influenciada pela filosofia Ayurveda.

O Unani tem a sua origem a partir da escola de pensamento de Hipócrates, na Grécia antiga. E tal como o Ayurveda, Unani dá enfase ao equilíbrio criado pela harmonia de certos elementos fisiológicos no nosso organismo.

O uso de plantas medicinais é encontrado em textos mitológicos indianos incluindo o Rāmayāna. Nos dias finais da guerra contra Ravana, foi solicitado a Hanuman para encontrar ervas sanjeevanipara para ajudar um ferido, Lakshmana, a voltar à vida. No entanto, os botânicos ainda não estão convencidos de que uma planta possa ter qualidades para salvar vidas.

Cortesia da Revista India Perspectives

Até hoje, a medicina tradicional continua usando milhares de plantas para curar. Por exemplo, aloé vera, cada vez mais usada em cosméticos hoje, foi vista durante muito tempo pela Ayurveda como uma planta medicinal devido à sua capacidade para curar queimaduras, hidratar a pele e até mesmo tratar doenças hepáticas como icterícia. A canela é amplamente utilizada na cozinha indiana e não apenas como um tempero que dá sabor aos pratos, mas também como um ingrediente que ajuda na digestão. Da mesma forma, a árvore nem tem um uso extensivo na Índia para fins medicinais. Conhecida pelas suas qualidades anti-sépticas e anti-virais é muito útil tanto na manutenção da saúde pessoal quanto comunitária e na agricultura biológica. A população tribal da Índia é conhecida por utilizar medicamentos à base de ervas por anos, e essa prática permanece até hoje. O conhecimento que eles possuem das plantas e suas propriedades, na verdade, teve um papel essencial nos primeiros trabalhos da medicina como Charaka Samhita.

Diversos estudos realizados ao oeste do Himalaia revelam que os moradores locais usavam plantas na ausência de medicamentos, para tratar males como problemas oculares, dores, cálculos renais e até mesmo infecções do tracto urinário. Um estudo recente, chamado “Uso Tradicional de Plantas Medicinais” entre as comunidades tribais do Chhota Bhangal, Oeste Himalaia, revela que 35 variedades de plantas foram usadas pela comunidade para tratar enfermidades comuns. A maiAloe-veraor parte desse conhecimento foi passado para as gerações seguintes através de boca a boca.

Umas variedades de plantas medicinais fazem parte da vida cotidiana na Índia. Embora sua utilização como ingredientes na cozinha tenha sido uma maneira de nossas diversas comunidades conseguirem incorporar plantas medicinais, eles encontraram um lugar importante também nos tratamentos de beleza. Henna e shikakai têm sido usados no subcontinente para pintar os cabelos e torna-los mais brilhantes. Amla, uma rica fonte de vitamina C, é encontrada em produtos para os cabelos devido à sua capacidade de fortalecer a raiz dos cabelos. Da mesma forma, a laranja e o pepino há muito tempo têm sido utilizados para fazer máscaras faciais por causa da sua habilidade natural para remover as rugas. Água de rosas e óleo de rosas são importantes ingredientes nos produtos de beleza devido às propriedades anti-inflamatórias. Portanto, não é difícil entender porque razão uma série de modernos produtos cosméticos usam o poder das ervas naturais. Compreender suas qualidades medicinais podem ajudar-nos não apenas a usá-los melhor na sua forma original, mas também na escolha dos produtos certos na prateleira.

Aloe-vera

Esta suculenta planta é popular há mais de 5.00 anos. Cheia de vitaminas, minerais, aminoácidos e ácidos graxos, é uma das poucas plantas que tem a vitamina B12. Sendo um adaptógeno, auxilia na digestão. As propriedades curativas da Aloe-vera são ideais para tratar queimaduras. Está disponível em essência e usada em produtos de beleza.

Canela

Amplamente usada na cozinha indiana, a canela ajuda na digestão, reduz o colesterol e os níveis de açúcar no sangue. O óleo de canela também é conhecido pelas suas qualidades anti-bacterianas e é usado em chás ou noutras formas de alimento. Ela ajuda a combater a gripe comum. Suas propriedades antioxidantes são óptimos para a pele.

Cúrcuma (Açafrão-da-Índia)
Esta poderosa planta é tão importante pelo seu valor nutritivo quanto pelo sabor que traz para a cozinha indiana. Um copo de leite com uma pitada de açafrão-da-Índia e uma colher de mel é um excelente remédio contra o resfriado comum e tosse, passado de geração a geração. Pesquisas recentes comprovam também a sua capacidade de reduzir as possibilidades de acidente vascular cerebral.

Manjericão e gengibre

Uma chávena de chá quente é rica em antioxidantes Quando feitas com tulsi ou holy basil, ajuda a curar resfriados e dor de garganta. O gengibre, uma raiz, também pode ser adicionado já que é conhecido por facilitar a digestão, aliviar a dor e melhorar a circulação. Esmagar o gengibre com mel também é útil para as constipações.

Curry

Usadas para decorar e também como chutneys na cozinha do sul da Índia, as folhas de curry são um leve laxante e ajudam a fortalecer o fígado. São conhecidas por ajudar às complicações intestinais e diarreia. Estas plantas fáceis de se cultivar também são ricas em vitamina A e ajudam a fortalecer os olhos se consumidas regularmente.

Hortelã

Rica em antioxidantes, nutriente e fitonutrientes, a hortelã ajuda a fortalecer imunidade e melhora a digestão. Mastigar algumas folhas de hortelã fresca pode ajudar na saúde bucal, razão pela qual é muitas vezes encontrada em produtos de higiene bucal. Folhas de hortelã podem ser usadas frescas, no chá ou em molhos picantes e saladas.
   


® http://www.fundacaomaitreya.com

Impresso em 4/6/2023 às 14:22

© 2004-2023, Todos os direitos reservados