Homepage
Spiritus Site
Início A Fundação Contactos Mapa do Site
Bem-vindo
   Missão
   Agenda
   Notícias
   Loja
   Directório
   Pesquisa
   Marco Histórico §
   Guia de Sânscrito
   NEW: English Texts
Religião e Filosofia
Saúde
Literatura Espiritual
Meditação
Arte
Vários temas
Mosteiro Budista
Reflexão
Dignidade e Alegria serena em tudo o que fazemos, são a expressão da perfeita Concentração e pefeita Sabedoria.

      Buddha

Dharma de Maria Ferreira da Silva

Sem dúvida que o ser humano dentro de certos limites controla o “seu destino”, e pode sempre reiniciar a sua actividade em prol do bem a si mesmo, e os efeitos serão reconhecidos como uma maior independência das circunstâncias que o limitam. Sendo o ser humano em certa medida o arquitecto da sua própria vida é também, o iniciador dos seus próprios problemas, mas que pode empregar sempre a vontade, no sentido de aplicar esforços na resolução do seu próprio drama, e assim desencadear o processo evolutivo conscientemente. Ler mais  Ler

Shakuntala (Śakuntalā) de Abanindranath Tāgore

De todas as línguas do mundo o sânscrito foi sem dúvida a que produziu a mais abundante literatura. Dos poemas líricos, dois se destacam pela perfeição o Meghaduta e Śakuntalā ambos de Kālidāsa, que alcançou a maior popularidade tanto na literatura indiana, como na do ocidente. Kālidāsa, é assim considerado uma luz no firmamento literário do mundo. A riqueza da sua visão criadora, a sua percepção das belezas da natureza, aliada a uma melodiosa cadência métrica, é a combinação perfeita que colocam Śakuntalā, na vanguarda das obras líricas, pela suprema criatividade. Segundo a tradição indiana, Kālidāsa era um brâmane contemporâneo do rei Vikrama – Ādtya de Ujjayini por volta de 57 A.C. o qual teria protegido alguns literatos na sua corte. Embora seja incerta a data ou mesmo a era deste poderoso monarca protector das letras, situa no entanto a vida de Kālidāsa, havendo por isso limites entre 150 A.C. a 634 D.C.. É portanto, no século I A.C., que a tradição coloca Kālidāsa. Śakuntalā, a jóia indiana, em peça de teatro, começa por uma evocação à Divindade. Śakuntalā é o nome de uma jovem de 18 anos que foi criada na floresta, feliz no meio da natureza, educada por um sábio. Aqui, o saber é expresso nos diversos estados de alma de cada personagem, em diálogos que demonstram a espontaneidade não só dos sentimentos, como de uma fraternidade que comove pela pureza, que ainda hoje grande parte da humanidade não atingiu. A mística e espiritualidade fluindo pela boca dos participantes revela a grandiosidade do pensamento e da vivência quotidiana, assente na profunda filosofia e religiosidade da Índia. É de uma magia transcendente este excelente conto, que atinge delicadas nuances de universalidade. Ler mais  Ler
Ver video
Ver video
Ver video
Ver video
Ver video
Local: Ericeira - Mosteiro Budista

De 01 Jun 2024  a  14 Jun 2024

Ver mais  Saiba mais
Local: Parque Eduardo VII - Lisboa

De 29 Mai 2024  a  16 Jun 2024

Ver mais  Saiba mais
Local: Ericeira - Mosteiro Budista

Em: 26 Mai 2024

Ver mais  Saiba mais
lançamento de LivroLer mais
CiênciaLer mais
InformaçãoLer mais
Língua Portuguesa – Acordo OrtográficoLer mais
Ajahn Jayasaro em PortugalLer mais
Livros na Amazon / Books in AmazonLer mais
PazLer mais
Flor de Lótus
Copyright © 2004-2024, Fundação Maitreya ® Todos os direitos reservados.
Consulte os Termos de Utilização do Spiritus Site ®